Suche
  • Wolfgang Fobo

Feitiçaria

Eu vou contar uma história que as pessoas irão duvidar. Quando alguém está sempre viajando como eu, pode-se viver e ver muitas coisas diferentes e por isso eu sempre encontro pessoas que me contam histórias incrivéis.

Essa história se passa em Kuala Lumpur, eu tinha um novo representante de vendas que se chamava Lau. Antes da minha viagem para Kuala Lumpur eu estava muito preocupado porque ele não respondia os meus e-mails. Eu não sabia se ele iria me buscar no aeroporto porque ele não me respondeu. Eu cheguei sozinho em Kuala Lumpur e fui para hotel e a partir daí ele entrou em contato e me disse que se sentia muita mal e por isso não conseguiu responder meus emails. Eu achei o comportamento dele muito estranho. Ele não me parecia muito saudável e também o humor dele era instável e eu não sabia se poderia confiar nele

De qualquer forma, um dia saímos eu, Lau e seu amigo para jantar e nesse dia Lau me contou uma história macabra e eu e seu amigo não pudemos acreditar. A história era a seguinte:

Por mais de um ano Lau se sentia muito mal. Ele não podia dormir, não tinha apetite e se sentia estafado, até mesmo não podia ter relações sexuais com sua esposa. Ele foi a vários médicos para ser examinado. Mas os doutores não encontraram nada. Lau também tinha amante. Um dia, quando ele se sentiu particularmente mal, sua amante o levou de carro a Malacca, uma cidade 100 km distante de Kuala Lumpur. Em Malacca morava um bruxo que era conhecido da sua amante, e este feiticeiro era um perito em tratamentos à base de bruxaria.

Quando o bruxo examinou Lau, ele descobriu imediatamente que Lau foi enfeitiçado. Lau recebeu uma cerimônia de limpeza e foi libertado da maldição. Logo depois da cerimônia de limpeza Lau se sentiu instantaneamente muito melhor. O guru disse que com o tempo a pessoa que o enfeitiçou iria mandar os feitiços novamente e que por isso ele precisaria se defender.

Um amigo disse a Lau que era normal estar enfeitiçado porque na Malásia geralmente as pessoas são enfeitiçadas, mas Lau não acreditava que bruxaria ou bruxas existiam. Por esse motivo ele não acreditava que o feiticeiro poderia curá-lo. Mesmo sem acreditar que o feiticeiro poderia lhe curar, ele manteve contato com o bruxo. O feiticeiro lhe deu um amuleto de proteção. O bruxo disse que para se proteger ele tinha que colocar carne de porco por toda a casa, porque a pessoa que lançou o feitiço em Lau era muçulmano. O feiticeiro sabia quem era o muçulmano mas ele não quis contar para Lau. Toda a história lentamente foi fazendo sentido para Lau. Ele teve um sócio que sabia muitos detalhes da sua vida e para se enfeitiçar alguém é necessário saber muito sobre essa pessoa. E quais detalhes? Por exemplo, a data de nascimento. E esse sócio sabia de tudo e também sabia que a pessoa era muçulmana. O motivo pelo qual ele enfeitiçou Lau foi porque ele tinha inveja de todo o êxito comercial de Lau e por esse motivo o sócio quis prejudicá-lo

O guru disse a Lau que ele teria um novo ataque por volta das sete horas da noite, no dia anterior da minha chegada. Lau deveria se deitar na cama com o amuleto embaixo da almofada. Por volta das sete horas da noite o guru rezaria por Lau. De fato Lau contou que ele teve agitações estranhas durante à noite. Porém, o mal estar que ele teve não foi grave. O ponto mais alto dessa história foi quando nos encontraram na manhã do dia seguinte, Lau contou algo incrível de acreditar. Ele disse que quando ele acordou, a garganta dele coçava e doía. Essa dor e coceira na garganta não passavam, então ele bebeu um copo com água, mas mesmo assim a dor na garganta não melhorou. Depois de escovar os dentes ele não pode acreditar no que viu: ele começou a vomitar muitos vermes mortos. Ele precisou tocar nos vermes para acreditar que isso era verdade.

Eu não quis dizer que ele estava contando uma mentira, então fiz muitas perguntas precisas para saber a verdade. Eu queria saber se era possível aprender a fazer bruxaria, também queria saber se havia curso de bruxaria. Então, perguntei também se uma bruxa pode ter energia e poder suficientes para enfeitiçar qualquer pessoa. Além disso queria saber se existia um tipo de feitiço para proteção e contra-ataque. Mas Lau não sabia de nada, a não ser que a bruxaria poderia ser até mesmo perigosa para uma bruxa, especialmente para os seus filhos. A bruxa ou feiteiceiro corre um grande risco quando lança um feitiço contra outra pessoa, a energia negativa pode atingir a sua família. Lau me contou que um dos filhos do bruxo tem uma limitação fisíca severa e ele acredita que isso é porque o feiticeiro trabalha com bruxaria para o mal. A irmã de Lau

também sofreu por causa de bruxaria, ela tentou enfeitiçar pessoas e acabou perdendo os dois filhos de maneira inexplicável.

Ficamos o dia todo conversando sobre isso e eu fiquei surpreendido com o que pode existir entre o céu e a terra. Não duvidei se a história era verdadeira ou não, eu acreditei porque eu já vivi fenômenos sobrenaturais e esse tipo de tema sempre me fascinou. Eu também me interesso em ouvir as histórias sobrenaturais que as pessoas contam, isso verdadeiramente me fascina!

Lau tinha 55 anos e era engenheiro e tudo o que ele viveu durante esse tempo serviu de experiência para ele mudar a forma que via a vida e por isso ele se aconselhou com o guru para melhorar alguns aspectos da vida dele. O guru aconselhou que Lau mudasse do seu escritório para outro novo porque naquele lugar tinha muitas energias negativas. Lau também deveria desfazer a sua sociedade porque seu sócio queria prejudicá-lo. Lau concordou em mudar-se porque nem ele e nem a sua secretária se sentiam bem naquele ambiente. A secretária tinha os mesmos sintomas que Lau teve. No escritório antigo ele pode descobrir vários pontos de feitiçaria que o seu sócio tinha colocado para ele. Quando eu visitei o o escritório antigo de Lau, eu não senti nada. O sócio não suspeitava de nada e Lau não o confrontou.

Depois dele me contar toda a história nós visitamos um cliente, também um engenheiro, e Lau lhe contou essa história. O engenheiro confirmou que ele também foi enfeitiçado, quando ele tinha 27 anos, naquela época o cliente se sentiu muito mal e não soube o porquê. Então, um amigo dele trouxe um guru para exorcizá-lo. Para mim o cliente era um homem que eu sentia que podia confiar no que ele dizia, não achei que ele queria agradar a Lau com a essa história. Ele quis compartilhar com Lau essa história para mostrar a Lau que ele não estava sozinho.

Antigamente, tais feitiçarias eram comuns, por exemplo, quando as mulheres tinham seus corações partidos, elas mandavam feitiços para o homens. Mas hoje essas feitiçarias não são mais tão comuns.

Eu nao sei o porquê não existe um mercado específicos para bruxaria. Deveria ser possível comprar um feitiço e mandar para meu inimigo. Mas ao que parece, o mercado não existe. Eu perguntei Lau se ele gostaria de fazer uma contra-ataque e enviar para o seu sócio algumas feitiçarias. Mas, ele não quis fazer, ele achou que era suficiente somente se defender. Ele me disse que muitas vezes uma maldição poderia voltar para a pessoa emissora.

Isso me fez lembrar da minha história na India em 2010, quando eu visitei um templo. Nesse templo, um guru me disse muitas coisas que foram verdade e que ele não tinha como saber. Além disso ele me contou que eu também teria muitos conflitos com um colega de trabalho que tinha inveja de mim. Aquele colega não hesitaria de usar magia negra contra mim. Ele o disse literalmente „magia negra“. Quando ele me disse isso, eu não levei nem um segundo para saber de qual colega de trabalho ele estava falando.

Mas eu posso viver sem temor e também não tenho um amuleto. Eu posso dormir sem problemas, tenho um bom apetite e nao me sinto mal. Mas para mim é um fato que aquele colega de trabalho tem inveja de mim e quer me prejudicar. E enquanto eu escrevo este texto, eu me lembro que agora mesmo aquele colega está internado no hospital. Você pode acreditar ou não mas é sempre bom saber que o feitiço vira contra o feiticeiro.

3 Ansichten

©2019 by Wolfgang Fobo

  • Black LinkedIn Icon

Proudly supported by UniMind